Páginas

terça-feira, 9 de abril de 2013

O DIÁRIO DE UMA LOUCA

 



Graça da Praia das Flechas
(Maria da Graça C. Monteiro)

Como uma Louca a vagar
Pelo infinito de minha mente
A dor da solidão me envolve
Deixando meu corpo inerte
Sobre a imensidão de minha cama...
É como se fosse um Câncer
Devorando-me pouco a pouco
Até nada mais restar de minh' alma...
Ahhh, como eu queria
Que estivesses aqui comigo agora...
Minha mente vazia
Teima em não se deixar vencer...
Mas, a nostalgia
Faz de mim um ser amorfo
Sem vontade para nada...
O Silêncio, penetra até meus ossos...
Somente ouço o rugido de meu mar
Como um animal pela morte ferido
Com as ondas batendo nas pedras
Como se fossem lamentos...
Amado mar
Leve contigo, minha tristeza
Por favor!
O Silêncio tem horas que me apavora...
Ouço o tic-tac do relógio
Sinto o pulsar de meu coração
Que se confunde com o relógio...
Um cachorro latindo na rua
O som de uma televisão ao longe...
A Noite mostrou sua face
Que hoje, está embaçada e triste
Ou talvez
Sejam lágrimas descendo pelo meu rosto
Que distorcem minha visão?
A janela aberta
Deixa penetrar um  vento macio
Que vem acariciar meu corpo
Docemente
Suavemente...
O  sono vem chegando de mansinho
E resolve me levar com ele...
Por fim tenho um companheiro
Que me envolverá em seus braços
Durante toda a longa noite
Sem nada de mim cobrar...
 
 
Direitos Autorais Reservados ®
Poema Registrado ***
Campanha pelos Direitos Autorais na Internet ***



Um comentário:

Paco Nite disse...

Lindo! Muita saudade de falar contigo. Você é inesquecível!